Um último enlace

Esse não é um texto sobre as lições de vida que o ano de 2017 deixou para nós. Não. Deixa essas questões nos livros clássicos como “O caçador de pipas”. Personagens como o Amir agha não verdadeiros aprendizados, não tenho dúvida, mas gostaria de me distanciar desses temas românticos e entrar nos aspectos mais concretos … Mais Um último enlace

Despedida

Tudo parou de funcionar quando você foi embora três horas da madrugada. Não foi só a presença física, mas um pouco do que eu sentia foi sumindo junto com o movimento daquele carro. Para intensificar ainda mais tragédia a esse arrebatamento quase literário (ao menos pra mim), deixei ser engolida aos poucos pela chuva e … Mais Despedida

Ao redor da arte

Acordar às 3h45 da madrugada e ficar pensando exatamente nesse texto. Talvez esse horário de insônia meio inconveniente para os que acordam cedo sirva pra isso também: trazer lembranças e reforçar sonhos ou vontades que não foram realizados, mas nem por isso eu deixei de amá-las, querê-las e guardá-las em meus pensamentos. Ao redor da … Mais Ao redor da arte

O pior medo é aquele que sentimos de nós mesmos

Mais difícil que enfrentar um dragão ou um daqueles dinossauros gigantes e assustadores que foram modificados geneticamente, saídos diretamente do Jurassic World. Há um medo que arde mais que tudo: é o medo que sentimos de nós mesmos. Armas com lasers e de última geração podem acabar com esses animais. Mas quem irá nos proteger … Mais O pior medo é aquele que sentimos de nós mesmos

Caminhando e ardendo nas ruas da cidade

Passar uns três meses andando por um longo caminho para depois aprender que existia outro mais próximo. Dia desses, enquanto estava no percurso de casa para o trabalho, me questionei porque eu não tinha sido mais esperta antes e economizado tanto cansaço e sol na cara. Mas parece que precisamos suar muito a camisa para … Mais Caminhando e ardendo nas ruas da cidade